A primeira lição do ano

Crianças da rede pública de ensino do Uruguay recebendo as primeiras lições de informática.

A nova identidade sonora do Ecolândia integra a ideia de revitalização da marca iniciada no ano passado, com a apresentação da nova identidade visual do projeto durante a mateada de aniversário dos cinco anos da Rádio Caraí.

Começar o ano de cara nova, essa é a grande proposta do Ecolândia para essas primeiras semanas de inéditos. Reconstruída nossa marca, efetivado o projeto do blog, agora estamos dando início à utlizaçao de nossa nova identidade sonora. Estavamos muito ansiosos para colocar em prática este que foi o resultado de uma evolução  no sentido do fazer jornalístico para todos nós.

Desde que o programa estreou, a cerca de dois anos atrás, estavamos tentando estruturá-lo de forma mais profissional. Porém, para que chegássemos ao estágio em que estamos agora, tivemos que trabalhar muito, em função da falta de pessoal para produção das matérias, ou mesmo, por causa da falta de estrutura da Universidade em atender as nossas demandas.

Aprender no Ensino Público é sempre um desafio à parte,  estamos sempre “correndo atrás da máquina” para fazer o mesmo que se faz em instituições privadas, mas com o mínimo de material. Microfones ruins, gravadores precários, enfim, a impossibilitaçao da qualidade máxima em função da estrutura mínima.

Estou falando de tudo isso não em forma de reclamação, pois o caminho trilhado até aqui nos deu muito mais satisfações do que desapontamentos. Falo da precariedade do Ensino Público para explanar o tema de nosso primeiro programa deste ano: a situação do Ensino Público em  Santa Maria, mais especificamente na zona sul.

Para fazer um prognóstico dos problemas enfrentados pelos estudantes neste começo de ano letivo, fomos saber como está a relação do coeficiente de professores com relação ao número de alunos e qual é a situação da estrutura física das três principais escolas municipais da região, Centro de Atencão Integral à Crianca – CAIC, Zenir Aita e São Carlos.  Ao mesmo tempo, em que fomos saber com as famílias das crianças matriculadas nessas escolas, qual é o seu grau de satisfação com relação às instuições.

À seguir temos a reportagem completa de Gabrielli Dala Vechia e Luiz Henrique Coleto sobre a situação estrutural e pessoal dessas três escolas.

O quadro do ensino público municipal demonstra o atraso que nosso país está vivendo com relação às políticas de inclusão digital. Aqui mesmo na América Latina, em um país de proporções drásticamente menores do que o Brasil, está sendo implanto, desde 2005, um projeto que pretende incluir as crianças no mundo digital através da doação de um lap top a cada um dos alunos matriculados na rede de Ensino Pública.

O projeto chamado Ceibal pretende não só que as crianças estejam de porte das máquinas, mas também que elas tenhao acesso à rede mundial de computadores e recebam o auxílio de professores preparados para dar-lhes as primeiras orientações sobre informática. Este projeto só foi possível porque o governo Uruguaio passou a destinar um montante muito maior em educaçao a partir de 2005.

Assista ao vídeo a seguir e confira a alternativa criada no Uruguay para incluir digitalmente toda uma geração.

Vodpod videos no longer available.