Microorganismos Resistentes: abaixe essa ideia.

Você sabia que no dia sete de abril é comemorado o Dia Mundial da Saúde? A data é referência para o dia de surgimento da Organização Mundial da Saúde (OMS), uma agência especializada em saúde e subordinada à Organização das Nações Unidas (ONU).

Em 2011, completando 63 anos de existência, a OMS lançou a campanha de Combate à Resistência Antimicrobiana. O tema visa alertar a população quanto a crescente insuficiência e ineficácia de medicamentos perante doenças causadas por bactérias, vírus, fungos e parasitas em geral. Isso ocorre porque os microorganismos estão cada vez mais resistentes aos remédios utilizados para a cura; logo, estes estão perdendo seus efeitos.

A resistência é um fenômeno biológico natural, porém há práticas humanas que contribuem para esse fato, como o uso excessivo do remédio, o mau emprego dele e a interrupção do tratamento, que condiz com a ingestão menor do que a indicada pelo médico.
De acordo com a OMS, os principais tratamentos que estão em risco são o controle do HIV, da malária e da tuberculose, doenças inseridas entre as que mais causam mortalidade por infecção no mundo.

O aumento da resistência desses germes também atinge o campo financeiro, uma vez que custa caro a iniciação de novas pesquisas para novos tratamentos e os pacientes tem de aceitar a elevação dos preços dos medicamentos.

O tema escolhido como campanha pela OMS é bastante atual e traz à discussão um problema de conseqüências perigosas para o futuro dos tratamentos de infecções. É responsabilidade social procurar saber mais a respeito do assunto, assim como tomar consciência de não praticar aquelas ações já mencionadas, que fortalecem a resistência dos microorganismos. A partir da exposição crescente sobre esse fato, pode-se esperar que novas resoluções surjam.