Ombudsman da semana

Olá ouvintes e leitores do blog do Ecolândia, escrevi uma breve avaliação sobre o programa da última sexta-feira, dia 14 de outubro.

A apresentação foi feita pelo Cristiano e pelo Jean, tendo eles conseguido conduzir o programa de forma tranqüila e manter uma harmonia nas falas. Os microfones dos dois locutores, desta vez, estavam audíveis e nivelados. No entanto, durante alguns minutos aconteceu uma interferência no sinal da rádio e conseguíamos ouvir outra estação, juntamente com o áudio do Ecolândia, o que dificultou a audição nesses momentos. No final do programa, os locutores conseguiram estabelecer um diálogo bem interessante e descontraído sobre a importância de nos sentirmos bem em nosso ambiente de trabalho, não visando apenas a remuneração.

A reportagem feita, pela Giuliana, trouxe as dificuldades de se voltar a estudar e conversou com pessoas do curso Alternativa.Foi bem interessante, visto que o curso é gratuito, sendo assim, acessível à população. A repórter termina o quadro indagando o ouvinte sobre qual sua motivação, e esse recurso causou proximidade e deu um tom emocional à reportagem, sem tender ao sensacionalismo.

A entrevista, feita pela Mariana Soares, com o psicólogo da PRAE (Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis) foi bem objetiva e explicativa. A maneira como a repórter fez as perguntas, realizando afirmações para depois indagar, foi a ideal, pois mostra que o jornalista tem certo conhecimento e domínio sobre o assunto tratado.

O Cidade Onde A Gente Vive, realizado pela Daniela Hubert, trouxe a história da Aapecan, e forneceu informações importantes, que podem servir como estímulo para pessoas procurarem a ONG. De caráter bem explicativo e com uma trilha alegre, o quadro conseguiu trazer as idéias e atividades da AApecan de maneira clara, difundindo a história de uma Organização que presta serviços à comunidade.

O Perfil, feito pela Andréa, trouxe a história de Sirley Fontoura, moradora do bairro Urlândia. Utilizando-se bastante da descrição, a repórter trouxe aspectos tanto felizes quanto tristes da história da entrevistada, mas sempre com um tom e palavras bonitos. Um bom quadro para a comunidade identificar-se no programa.

As notícias, escritas pela Daniela Pin, estavam bem formuladas e com boas temáticas, muitas de utilidade pública, como sobre as inscrições para a rede estadual de ensino e sobre o projeto “Bairro em Ação” que, por ocorrer na Urlândia, ocasiona proximidade com os ouvintes da rádio.  As dicas culturais estavam acessíveis e interessantes, uma, inclusive, trazendo uma mostra de arte sustentável, bem coerente com a proposta do Ecolândia.

A previsão do tempo, da repórter Natascha, foi realizada corretamente, com perguntas precisas e importantes para os ouvintes, feita em formato de boletim.