Os benefícios das hortas

Ter uma horta em casa não significa apenas valorizar a alimentação saudável. O plantio de alimentos caseiro também beneficia o meio ambiente. De fato, para muitas pessoas ainda impera o mito de que a horta depende de espaços grandes.  Porém, é possível cultivar alimentos em espaços pequenos das nossas casas, como quintais e varandas.

Nas hortas, são produzidos diferentes tipos de produtos agrícolas vegetais, como legumes, frutas, tubérculos e cereais. Por produzirmos produtos alimentares distintos ao longo do ano faz com que a diversidade dos produtos vegetais na nossa alimentação seja maior. A garantia da inclusão e o consumo de mais nutrientes na nossa dieta, a par da sua qualidade nutricional ser superior, também faz com que se diminuam os custos com a saúde em longo prazo.

A oportunidade de incluir socialmente pessoas que, por algum motivo, se encontravam discriminadas ou desocupadas (desemprego, experiências de vida e/ou problemas familiares) é outra das vantagens associadas às hortas, incluindo as urbanas.  Uma horta pode servir para reforçar os laços da comunidade e tornar as pessoas mais valorizadas e úteis à sociedade, contribuindo para a diminuição de fossos sociais entre classes.

Horta caseira

Horta caseira

No que se refere à economia, um acesso direto, regular e com qualidade e segurança alimentar permite aos agregados familiares uma poupança direta na aquisição destes produtos.  A possibilidade da venda de alguns excedentes em feiras ou em mercados especializados também se pode traduzir numa vantagem. Em longo prazo, este tipo de produção contribui ainda para a diminuição das importações destes produtos que desequilibram a nossa balança comercial.

Outro benefício das hortas é permitir às crianças e jovens o acesso a uma experiência prática na produção de alimentos e na gestão de recursos naturais. Esta é uma das formas de investir em cidadãos mais conscienciosos no futuro e com mais ligação aos métodos e tempos de cultivo para cada cultura, tornando-os futuros adultos mais responsáveis.

A prática de uma agricultura mais solidária ao meio ambiente também contribui para a valorização da biodiversidade agrícola e para a valorização dos ecossistemas.  As hortas e os métodos de cultivo que lhes estão associados também contribuem para o uso sustentado dos recursos e para a diminuição de perda de património genético como as variedades regionais ou as espécies autóctones.  A criação de hortas perto dos meios urbanos ou o seu aumento nos meios rurais contribui para a manutenção da paisagem portuguesa, que é fundamental na atratividade turística do país, contribuindo também para a diminuição dos incêndios florestais nos terrenos abandonados.

Também não podemos esquecer que ter uma horta está relacionado com o nível de qualidade de vida, pois ao desenvolver atividades ao ar livre como semear e regar, está também a fazer exercício físico e a contribuir para o seu bem estar mental.  A horta pode ser um bom escape ao estresse do quotidiano e um bom palco para momentos.

Abaixo, acompanhe a reportagem que o programa Arte Brasil produziu sobre as hortas caseiras de temperos.