O lixo eletrônico pode virar arte

Escola Marista, em parceria com empresas de Santa Maria, descarta lixo eletrônico de forma sustentável

Texto de Jéssica Loss

A arte através do que iria para o lixo

A arte através do que iria para o lixo

 

Conforme a Associação Brasileira de Reciclagem de Eletroeletrônicos (Abere), cerca de 1 milhão de resíduos eletrônicos são descartados de forma incorreta no Brasil.Com o objetivo de evitar a degradação do meio ambiente, o Centro Marista de Inclusão Digital (Cmid), da escola Marista, localizado na comunidade Nova Santa Marta, Zona Oeste de Santa Maria- RS, em parceria com as empresas Químea e Maringá Metais, recicla e separa resíduos eletrônicos.

O coordenador do projeto, Agir Facco, conta que os alunos aprendem a transformar o lixo eletrônico em profissão e arte. Com o reaproveitamento dos resíduos, eles desenvolvem projetos que envolvam conceitos da área elétrica e mecânica, na criação de artefatos robóticos educacionais. Além disso, reutilizam a sucata tecnológica para exercitar a criatividade e originar obras de arte, que vão desde bijuterias até peças de uso doméstico.

O diretor da empresa Químea, Marçal Paim da Rocha, relata que sua empresa, em sociedade com a Maringá Metais, faz o processo de coleta e triagem dos resíduos tecnológicos não reutilizados pelo projeto Cmid, e também de sucatas recebidas da população da cidade. Posteriormente ao processo de seleta, os equipamentos e peças são vendidos para Porto Alegre, que reciclam a sucata tecnológica e devolvem os produtos na cadeia produtiva. Químea e Maringá Metais adotam a política Nacional de resíduos sólidos (Lei 12.305), criada em 2 de agosto de 2010, que visa adequar ecológico de resíduos sólidos.

 

Televisores, monitores, celulares, computadores, câmeras digitais, MP3 player, micro-ondas, ventiladores, videocassetes, impressoras, entre outros aparelhos que chegaram ao fim de sua vida útil ou que estão obsoletos em relação a novos produtos, são alguns exemplos de resíduos eletrônicos. O descarte desses equipamentos pode ser realizado através da empresa Químea.

E NÃO PERCA, nessa próxima sexta-feira, dia 03 de junho, o Ecolândia vai falar sobre o destino do lixo que produzimos.

Ouça o programa através do site da rádio comunitária Caraí FM.