Voltando no Tempo

O Ecolândia é um projeto de extensão do Programa de Ensino Tutorial da Comunicação (PETCom) produzido pelos estudantes de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Maria. Devido as greves dos técnicos e professores da UFSM e das atuais Ocupações que estão ocorrendo pelos campus contra o Projeto de Emenda Constitucional 55 – antiga PEC 241, tema que foi discutido no dia 19 de Outubro – nossos próximos programas serão reprises das primeiras transmissões feitas pela equipe do Eco. A atual PEC 55 prevê, entre outras medidas, o congelamento de gastos nas áreas de educação e saúde durante um período de 20 anos. Se aprovada ainda nesse ano, o novo cálculo de orçamento público de 2017 serveria como base para os orçamentos dos anos seguintes, que seriam ajustados somente de acordo com a inflação. Isso, representaria uma perda de bilhões de reais em investimentos para essas duas áreas. É também em comemoração aos 10 anos de Eco no ar que estamos voltando no tempo para relembrar como eram feitos os programas antigamente. Além de apoiarmos as greves que estão ocorrendo na universidade, nossa equipe também precisa do auxílio dos técnicos do Estúdio 21 para produção de novos quadros.

O programa da sexta passada falou sobre Lixo Eletrônico e um tema que continua muito atual, visto que muitos moradores da região sul de Santa Maria desconhecem a maneira correta de descartar resíduos como lâmpadas, pilhas, celulares, computadores, geladeiras, microondas e outros produtos eletrônicos. Atualmente, com o elevado uso de materiais eletrônicos essse tipo de lixo merece atenção especial e uma destinação correta para que os danos ao meio ambiente sejam reduzidos.

Em 2010, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, ou PNRS, foi publicada, regulamentando o tratamento adequado para o lixo em geral. Apesar de não especificar uma norma para o lixo eletrônico, esta pode ser aplicada em sua maioria, para esse tipo de material. O Brasil é um dos poucos países da América Latina que possui regulamentações que, de alguma forma, são aplicadas ao tratamento de lixo eletrônico.

A PNRS estabelece que toda instituição e organização é responsável por separar e descartar corretamente os resíduos que produzem, o que inclui a indústria, o comércio, os municípios e consumidores. Seguindo essa premissa, as empresas estão investindo em operações de logística reversa a fim de coletar seus produtos no fim do ciclo de vida. Os consumidores devem participar desse processo, separando os resíduos adequadamente e levando para postos de entrega autorizados. A PNRS classifica eletroeletrônicos e lâmpadas fluorescentes como resíduo sólido especial, os quais devem ser obrigatoriamente coletados por seus produtores, devido ao alto risco ambiental que representam.

Dados: Tech in Brazil

Resíduos eletrônicos em geral são coletados em Santa Maria por duas empresas licenciadas pela prefeitura de Santa Maria:
1. Químea Soluções Ambientais – BR 158, Nº 10.605, Bairro Cerrito – Telefone (55) 3217.0880

2. Maringá Metais – Rua Miguel Carvalho de Macedo, nº 250, Bairro Goiania – Telefone (55) 3213.2074

O ecolândia entrevistou nesse ano a proprietária da Maringá Metais Marciane Rigon Favaro que nos contou sobre como é feita a coleta aqui na cidade. “Todos os eletro eletrônicos que os moradores possuam na sua casa e que de alguma maneiram estragaram e eles não queiram ou não tenham condições de concertar, eles podem trazer aqui na Maringá Metais que inclusive é bem perto da Rádio Caraí”, disse Marciane. Ela também completa que ” um dos segmentos mais importantes é não deixar que esses produtos cheguem nos aterros sanitários e envolvam a contaminação do solo”.

caracteristicas-e-problemas-do-lixo-eletronico-3

 

Com esse último programa também relembramos alguns quadros antigo do Eco como o quadro “Que bixo é esse?” produzido em parceria com os estudantes de biologia, membros  do PETBio. Esse quadro consistia em darmos algumas dicas sobre o animal e os ouvintes tentarem adivinhar que animal era, por meio das dicas e do som que ele fazia. E o animal desse programa foi o Anu Branco. Outro quadro que também reprisamos foi o “A cidade onde a gente vive”, que falou sobre  o Ponche Verde um dos Centros de Tradições Gaúchas aqui da cidade.

Anu-Branco

O programa da próxima sexta dia 11 de novembro será um reprise do programa que foi ao ar em março de 2009 que falou sobre Educação Especial, não perca! Sintonize na Rádio Caraí 106.3 FM às 18:00!